Um vestido Christian Dior, "amuleto da sorte" que Elizabeth Taylor vestia na noite em que venceu o Óscar de Melhor Atriz em 1961, será leiloado no próximo mês, depois de ter ficado guardado numa mala em Londres durante mais de 50 anos.

Todos presumiam que o vestido, com estampa floral e uma grande rosa vermelha na cintura, já estava no acervo da Dior em Paris.

Na realidade, esteve cuidadosamente guardado – juntamente com outras 11 peças de roupa que pertenceram à estrela – numa grande mala de plástico na casa da sua ex-assistente pessoal desde 1971.

Taylor usou o vestido, desenhado por Marc Bohan para a Dior, na 33.ª cerimónia dos Óscares, onde compareceu acompanhada do seu quarto marido, Eddie Fisher.

Exposição que mostra fotografia de Elizabeth Taylor encaminhar-se para receber o Óscar na cerimónia de 1961.

A sua relação com Fisher gerou uma enxurrada de publicidade negativa depois de Taylor ser acusada de "roubar" o marido da atriz Debbie Reynolds, até então sua grande amiga.

O escândalo convenceu a protagonista de O Número do Amor" de que não ganharia o Óscar naquele ano, explicou Kerry Taylor, cuja casa de leilões especializada em moda vintage venderá o vestido.

"Não esperava vencer, porque tinha perdido noutras ocasiões e tinha toda a imprensa negativa sobre Eddie Fisher", disse à France-Presse.

Após o seu triunfo, a estrela começou a considerar o vestido como "uma espécie de amuleto da sorte" e levou-o com ela pelo mundo.

"Dez anos depois, ela continuava a levar o vestido de um lugar para o outro. Ela não o usava, apenas gostava de levá-lo com ela", conta Kerry Taylor.

"Apenas vestidos em segunda mão"

A roupa foi encontrada na mala com muitas outras que a atriz deu à sua assistente Anne Sanz, cujo marido, Gaston, também trabalhou como motorista e guarda-costas.

O casal viajou o mundo com a atriz e com o quinto marido, a estrela de Hollywood Richard Burton, com quem ela se casou duas vezes, no auge da fama, nas décadas de 1960 e 1970.

A bagagem de Taylor tomava dimensões desproporcionais durante as suas viagens, às vezes chegando a 40 malas. Então, em 1971, ela acabou por se desapegar deste Dior, apesar do seu valor sentimental.

Um dia, a estrela abriu o seu armário no Hotel Dorchester de Londres e disse a Anne: "leve o que quiser!".

Entre outros itens incluídos no leilão estão um vestido de alta-costura Tiziani, criado por Karl Lagerfeld, e um roupão "viúva-negra" usado pela atriz no filme "Choque", de 1968, ao lado de Richard Burton, também de Lagerfeld.

Ao longo dos anos, Anne Sanz usou alguns vestidos e deu outros de presente a amigos e familiares.

"Anne, obviamente, levou o vestido branco para o seu casamento e usou outro vestido, um amarelo e azul, combinando com um casaco", contou Kerry Taylor.

"Mas, de certa forma, para ela, eram apenas vestidos em segunda mão que pertenceram a Elizabeth Taylor. E então? Isto foi antes de tudo o que se relacionasse com famosos se tornasse uma tendência", acrescenta.

O leilão do vestido "da sorte" dos Óscares deve render entre 40.000 e 60.000 libras (46.470 a 69.700 euros) e acontecerá em Londres, a 6 de dezembro.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.