João Pedro Rodrigues e
João Rui Guerra da Mata arrecadaram o prémio para melhor curta-metragem portuguesa, por
«Alvorada Vermelha», e Erik Moskowitz e Armanda Trager receberam o prémio para melhor curta-metragem internacional, por
«The Story of Elfranko Wessels».

O júri internacional de longas-metragens, composto por François Bonenfant, Denis Côté, Gabe Klinger, Jean-Pierre Rehm e Margarida Vilanova, atribuiu o prémio principal internacional, no valor de 15 mil euros, a
«The Ballad of Genesis and Lady Jaye» e uma menção honrosa a
«La BM du Seigneur», de Jean-Charles Hue (França).

Atribuiu ainda o Prémio Caixa Geral de Depósitos para melhor longa-metragem portuguesa, no valor de 5 mil euros, a José Filipe Costa, por
«Linha Vermelha».

Entregou também o Prémio de Distribuição, que pretende ajudar à distribuição do filme em Portugal, no valor de 2.500 euros, a
«Morgen», de Marian Crisan (Roménia/França).

O júri internacional de curtas-metragens, composto por Catarina Mourão, Thure Munkholm e Bruno Safadi, decidiu atribuir o prémio principal internacional, no valor de 5 mil euros, a
«The Story of Elfranko Wessels», de Erik Moskowitz e Armanda Trager (EUA/Canadá), e também menções honrosas a
«Diane Wellington», de Arnaud dês Pallières (França),
«La Forêt», de Lionel Rupp (Suíça), e
«The Painting Sellers», de Juho Kuosmanen (Finlândia).

Atribuiu ainda o prémio Pixel Bunker, no valor de 2.500 euros, acrescido de 6.000 euros em serviços, à curta-metragem portuguesa «Alvorada Vermelha», de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata.

Entregou também o Prémio Restart para melhor realizador português de curta-metragem, no valor de 3.500 euros em meios de produção e pós-produção, ex-aequo, a Gabriel Abrantes, por
«Liberdade», e a
Marco Martins e Filipa César, por
«Insert».

Coube-lhe igualmente atribuir o Prémio Novo Talento Fnac ao realizador nacional de curtas-metragens que se revelou um talento emergente, no valor de 2.500 euros, a Patrick Mendes, por «Homenagem a quem não tem onde cair morto».

O júri Pulsar do Mundo, composto por Graça Castanheira, Javier Packer Comyn e Paula Moura Pinheiro, atribuiu o Prémio RTP Pulsar do Mundo (5.000 euros em direitos de exibição para televisão) a
«I’ll forget this day», de Alina Rudnitskaya (Rússia), e uma menção honrosa a
«Pallazo Delle Aquile», de Stefano Savona, Alessia Porto e Ester Sparatore (França/Itália).

O júri IndieJúnior (cinco crianças nomeadas a partir de convites endereçados a instituições sociais e colégios privados) escolheu
«O meu bom inimigo (My good enemy)», de Oliver Ussing (Dinamarca), como melhor filme, com 1.000 euros. As menções honrosas foram para
«As mãos no ar (Les mains en air)», de Romain Goupil (França), e
«Óculos de garrafa (Cul de bouteille)», de Jean-Claude Rozec (França).

Os prémios do IndieLisboa'11 foram entregues esta noite, na cerimónia de encerramento do festival, na Culturgest.

Foram anunciados também os dois alunos vencedores do workshop de realização que lhes facilitará o acesso à escola francesa Le Fresnoy: Filipe Afonso e Jorge Jácome.

A oitava edição do IndieLisboa termina no domingo, com a exibição dos principais premiados e as antestreias de
«Kaboom», de
Gregg Araki (19h15, Cinema São Jorge), e
«Meek's Cutoff», de
Kelly Reichardt (21h30, Culturgest).

SAPO/Lusa

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.