“No festival participam sete solistas europeus, dois deles de maneira presencial e os outros cinco de maneira virtual, desde a Europa. Portugal estará representado pelo pianista Vasco Dantas, de maneira remota”, disse o embaixador.

Segundo o diplomata, o festival tem lugar “depois de um ano de ausência dos cenários” devido à quarentena da COVID-19 e será feito “respeitando as medidas de biossegurança” preventivas do novo coronavírus.

“A programação, composta por três espetáculos, inclui, pela primeira vez, dois recitais gratuitos em diferentes espaços da cidade de Caracas e o intercâmbio cultural foi organizado pela Delegação da União Europeia na Venezuela, em aliança com o Sistema Nacional de Orquestras e Coros Juvenis e Infantis da Venezuela”, explicou.

Além do português Vasco Dantas Rocha, o festival reúne também as pianistas Luana Kaslin, da França e Joanna Sochacka da Polónia. Também Theo Plath (concertinista), da Alemanha, David Antigüedad (guitarrista), da Espanha, Gergely Lukács (tuba) da Hungria e Sebastián Braun (violoncelista), da Suíça.

Pela parte venezuelana participará o Coro Femenino Aequalis Aurea, a Agrupação Schola Cantorum da Venezuela e a Escola de Música Mozarteum de Caracas.

A programação inclui 11 classes magistrais, presenciais e em linha, em que participam mais de três dezenas de jovens músicos venezuelanos.

O pianista português Vasco Dantas Rocha nasceu em 1992 no Porto e já ganhou mais de 50 prémios e distinções em concursos internacionais, entre eles o Grande Prémio no Concurso Internacional de Piano de Valletta (Malta), o Prix Spécial no Concurso Internacional de Piano SAR La Princesse Lalla Meryem (em Marrocos).

Também o 1.º Prémio no Internacional Cidade de Vigo (em Espanha) e no Internacional do Porto Santa Cecília e Interpretação Estoril-Lisboa, a Medalha de Mérito Dourada (de Matosinhos), o Prémio Casa da Música e Münster Steinway & Sons (Alemanha).

Apresentou-se na Câmara Municipal de Hong Kong, no Grande Salão do Conservatório Tchaikovsky em Moscovo, e no Carnegie Hall em Nova Iorque.

Foi solista na Orquestra de Câmara de Kremlin (Moscovo), na Filarmónica Portuguesa, na Hong Kong Symphonia, na Metropolitana de Lisboa, na Sinfónica do Espírito Santo (Brasil), na Sinfónica do Porto, na Sinfónica Portuguesa e na Südwestdeutschlands kammerorchester (Alemanha),

Trabalhou em conjunto com Choi Sown Le, Daniel Cohen, Dinis Sousa, Douglas Bostock, Günter Neuhold, Jan Wierzba, Joshua dos Santos, Martin André, Misha Rachlevsky, Osvaldo Ferreira, Pedro Carneiro, Pedro Neves, Peter Sauerwein, Rui Pinheiro, Vassily Sinaisky e Victor Hugo Toro, em digressões internacionais.

Começou a estudar piano aos 4 anos de idade e dois anos depois fez a sua primeira apresentação pública, na RTP. Em 2000 foi admitido com distinção no Conservatório de Música do Porto, onde estudou com Rosgard Lingardson. ~

Paralelamente ao piano, aos 7 anos de idade começou a estudar violino. Formou-se em Música no Royal College of Music de Londres, sob a supervisão pianística de Dmitri Alexeev e Niel Immelman.

Estudou ainda direção com Peter Stark e Natalia Luis-Bassa e possui o mestrado em performance e o doutoramento "Konzertexamen" dirigido por Heribert Koch na Universidade de Münster.

Obteve um 'master' no ensino de música pela Universidade de Aveiro e um diploma de Arte do Ensino no RCM de Londres. É diretor artístico do Ciclo de Música do Algarve e tem várias obras gravadas em disco compacto, para a Antena 2, ARS Produktion, Coviello Classics, Rádio Galega, MPMP e KNS Classical.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.