“É um espetáculo que tem poesia, teatro, música, cinema e dança e que tem como linha condutora as palavras de Eugénio de Andrade. Será Eugénio de Andrade a unir todos os elementos, sendo que tudo gira à volta dele”, explicou à agência Lusa o diretor artístico do espetáculo, Rui Sérgio.

Com apresentação marcada para sábado, às 21:00, no auditório d'A Moagem, o espetáculo resulta de um projeto da Fundação Inatel, desenvolvido com apoio da Câmara do Fundão e que tinha estreia marcada para 2020, mas que foi cancelada devido à COVID-19.

Subirá agora ao palco, na mesma altura em que se assinalam os 99 anos da data de nascimento do escritor (19 de janeiro), que é natural da freguesia de Póvoa da Atalaia, concelho do Fundão, distrito de Castelo Branco.

Com a poesia de Eugénio de Andrade como mote, o espetáculo tem ainda a particularidade de envolver a comunidade local, nomeadamente alunos do primeiro ciclo da Póvoa da Atalaia, idosos do lar local e elementos do grupo de teatro escolar Teatro Histérico e da Câmara.

“Obviamente é um espetáculo com momentos de poesia. Temos uma mescla de imagens de arquivo da RTP feitas com o próprio Eugénio de Andrade e imagens gravadas das crianças a dizerem alguns dos seus poemas”, detalhou.

“Frutos”, “Havia uma Palavra” e “O Pastor” são os poemas que as crianças vão declamar.

A isto juntam-se, já em palco, os elementos do Grupo de Teatro Histérico (que faz parte do Agrupamento de Escola do Fundão) que vão contracenar com os atores profissionais Melânia Gomes, Alexandre Ferreira e Bruno Schiappa.

Quanto aos mais velhos, foram captadas memórias dos que ainda conviveram com Eugénio de Andrade quando ele era pequeno e com a mãe deste.

Será ainda distribuído e lido um manifesto à poesia escrito pelo jornalista Fernando Paulouro e o espetáculo também vai contar com momentos de música e fado: Arnandina Loureiro vai dizer poemas de Eugénio Andrade, acompanhada à viola beiroa por Miguel Carvalhinho, e o grupo Fado ao Centro vai interpretar duas obras.

Haverá ainda um momento de dança com Bruno Schiappa, com voz de Eugénio de Andrade, segundo explicou o diretor artístico.

Rui Sérgio frisou ainda a importância de se homenagearem os poetas e de se despertar ou promover o interesse pela poesia.

“Homenagear um poeta nunca é de mais”, afirmou.

A entrada é gratuita, mas sujeita a reserva, através do contacto telefónico 275 773 032.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.