Com as notícias sobre o escândalo sexual que envolvem Harvey Weinstein a dominarem a agenda mediática, o vídeo de uma breve declaração de Courtney Love sobre o magnata tem sido repescado e partilhado nas redes sociais nos últimos dias.

O comentário da vocalista dos Hole e viúva de Kurt Cobain remonta a 2005 e foi feito na passadeira vermelha do espetáculo "Roast", do "Comedy Central", dedicado a Pamela Anderson. Na ocasião, uma repórter pediu que Love deixasse um conselho para jovens aspirantes a atrizes. A cantora hesitou, mas acabou por aceder. "Vou sentir-me aliviada se disser isto... Se o Harvey Weinstein vos convidar para uma festa privada no seu Four Seasons, não vão", sublinhou.

O alerta é condizente com situações apontadas por atrizes como Ashley Judd, Kate Beckinsale ou Cara Delevingne, que acusam o executivo de as ter convidado para reuniões de trabalho num hotel durante as quais acabou por fazer insinuações sexuais. A lista de estrelas que dizem ter sido vítimas de abusos tem aumentado e algumas, como Asia Argento ou Rose McGowan, acusam Weinstein de violação.

Na sua conta do Twitter, Courtney Love também partilhou o vídeo, através de um artigo do site TMZ, acrescentando que, apesar de não ter sido uma das vítimas do produtor, foi "eternamente banida" pela agência CAA (Creative Artists Agency) devido à denúncia.

Além de um percurso na música, a artista teve alguns papéis no cinema e chegou a ser muito elogiada e premiada por "Larry Flynt" (1996), de Milos Forman. Mas desde finais dos anos 1990, as suas experiências na representação têm sido apenas pontuais e nunca voltaram a ter um peso comparável.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.