No final de outubro tinha sido anunciado que DJ Ride tinha vencido na categoria Party Rocking, e que o prémio seria entregue durante a final do Campeonato Mundial de DJ 2023, marcada para 2 de dezembro em Cracóvia, na Polónia, e na qual seriam disputadas ao vivo as categorias Show e Técnica.

De acordo com o agenciamento de DJ Ride, num comunicado hoje divulgado, “aproveitando o facto de já estar presente em Cracóvia, […] Ride decidiu desafiar-se a si próprio, participando também da Categoria Técnica, que é a categoria mais antiga e com mais prestígio desta competição, na qual participam DJ de todo o mundo, e na qual apenas se pode participar presencialmente”.

Na final do concurso, DJ Ride competiu com o DJ japonês Nollie.

“Não partilhei que ia participar para não criar expectativas e o meu nome foi apenas mencionado na lista de participantes no ‘site’ da organização uma semana antes. A concorrência foi bastante forte, mas como tinha muito material novo e novas técnicas para mostrar, a sorte acabou por estar do meu lado e foi mais um sonho tornado realidade, nesta que é considerada por muitos a categoria mais difícil”, partilhou DJ Ride, citado no comunicado hoje divulgado.

DJ Ride juntou assim dois títulos mundiais conquistados a solo aos dois que já tinha vencido no mesmo campeonato, em 2011 e 2016, na categoria Show, em conjunto com Stereossauro, com a dupla Beatbombers.

Party Rocking é uma nova categoria “que tem um maior foco na área do ‘clubbing’ com técnicas de ‘scratch/turntablism’ [duas técnicas de manipulação de música com gira-discos e mesa de mistura] e em que um dos objetivos é a mistura de vários estilos musicais, da eletrónica ao hip-hop, rock e ‘drum & bass’”.

DJ Ride é o nome artístico do DJ, produtor e engenheiro de som Oliveiros Tomás Oliveira, das Caldas da Rainha, um dos mais elogiados e respeitados nomes do universo hip hop português.

Em 2007 editou o primeiro álbum, “Turntable Food”, ao qual se seguiram “Psychedelic Sound Waves” (2009) e “Life in loops” (2012), “From Scratch” (2015), que conta com a participação de artistas como Capicua, Valete, NBC e Jimmy P, e “Light Speed” (2020). Pelo meio editou também alguns EP e colaborou com músicos e bandas como The Legendary Tigerman, Micro Audio Waves, A-Trak e o DJ e produtor Holly, seu irmão.

Em 2003, formou com o também DJ e produtor Stereossauro (Tiago Norte) a dupla Beatbombers.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.