Os Globos de Ouro vão regressar em 2022, ainda que o evento não tenha o apoio da transmissão televisiva do canal NBC.

"A Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood [HFPA na sigla inglesa] planeia reconhecer as performances de 2021 para celebrar o grande trabalho da indústria no ano passado nos 79º Globos de Ouro", adiantou uma fonte não identificada em comunicado à imprensa especializada americana sem esclarecer que tipo de evento é que está a ser planeado.

A organização também terá enviado uma carta a 8 de outubro a explicar as regras de elegiabilidade para os 79.º Globos de Ouro também com ênfase nas "performances".

Os Globos de Ouro são um dos prémios mais importantes de Hollywood, mas o seu futuro tem sido questionado e não é claro até que ponto estarão os talentos dispostos a participar na edição de 2022, apesar da HFPA ter anunciado várias reformas, incluindo a admissão de 21 novos membros e a proibição de aceitar presentes e viagens.

A organização ainda está a recuperar de uma investigação de fevereiro do jornal LA Times que revelou que não possuia membros negros. A organização também enfrenta há muitos anos acusações de falta de transparência nos seus procedimentos.

Uma carta assinada por mais de 100 profissionais da indústria pediu à HFPA em março o fim do "comportamento discriminatório, da falta de profissionalismo e ética e da alegada corrupção financeira" entre os seus membros.

Essas questões somaram-se às críticas feitas anteriormente pelo movimento Time's Up, pela igualdade de género.

Celebridades como Scarlett Johansson e Mark Ruffalo consideraram as reformas promovidas pelos organizadores do Globo de Ouro lentas e inadequadas, enquanto Tom Cruise devolveu os seus três prémios, em protesto. Estúdios poderosos, como a Warner Bros, a Netflix e a Amazon, anunciaram que não irão trabalhar com a HFPA até que haja mudanças mais significativas.

Num golpe grave para a HFPA, a NBC cancelou em maio a sua transmissão da cerimónia de 2022: todos os anos recebe do canal uma taxa de 60 milhões de dólares pelos direitos de exibição da cerimónia daqueles que são, pelo seu mediatismo, os segundos prémios mais importantes de Hollywood, atrás apenas dos Óscares.

"Continuamos a acreditar que a HFPA está empenhada numa reforma significativa. No entanto, mudanças desta magnitude exigem tempo e trabalho, e acreditamos fortemente que a HFPA precisa de tempo para fazê-lo da maneira correta. Como tal, a NBC não irá transmitir os Globos de Ouro de 2022. Assumindo que a organização executa o seu plano, temos esperança de estar em posição de transmitir o espetáculo em janeiro de 2023.", refere o comunicado.

"Continuaremos a atualizar a indústria sobre o nosso avanço, à medida que votarmos novos estatutos, que irão criar uma organização inclusiva, diversa e responsável, da qual os nossos membros, partes interessadas e parceiros se orgulhem", indicou a HFPA em julho.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.