O maior festival de cinema da América do Norte começou na quinta-feira em Toronto, com a estreia internacional do que provavelmente será o último filme do mestre japonês da animação e vencedor do Óscar Hayao Miyazaki, enquanto as greves de Hollywood continuam.

Os organizadores do evento, que serve como plataforma de lançamento para muitos filmes vencedores dos Óscares de Hollywood, ajustavam uma série de estreias, cerimónias de gala na passadeira vermelha e lançamentos de televisão com trabalhos de dezenas de países quando os atores e argumentistas da indústria decidiram entrar em greve.

No entanto, para o diretor-executivo do festival, Cameron Bailey, a amplitude global da programação e a capacidade dos cineastas e atores de promover o cinema independente mesmo no meio da greve mostram a "força do cinema neste momento".

"Demorou algumas semanas para determinar os detalhes de como lidar com um festival afetado por uma greve, mas acabámos por ter muitos talentos na passadeira vermelha", disse Bailey à France-Presse.

Durante dez dias e graças a autorizações especiais do poderoso sindicato dos atores, a maior cidade do Canadá receberá estrelas como Patricia Arquette, Taika Waititi, Ethan Hawke e Anna Kendrick, que estiveram por trás das câmaras para dirigir os seus últimos filmes.

O cineasta francês Ladj Ly estreará "Les Indésirables", uma continuação do seu olhar sobre comunidades marginalizadas nos subúrbios de Paris, quatro anos após a sua estreia nomeada aos Óscares com "Os Miseráveis".

Também está prevista a estreia internacional de "The Holdovers", dirigido por Alexander Payne ("Sideways"), sobre um professor (Paul Giamatti) encarregado de supervisionar os estudantes de um colégio interno que não podem voltar para casa durante as férias de Natal.

A estrela pop Lil Nas X trará estilo à passadeira vermelha para a estreia do seu documentário "Lil Nas X: Long Live Montero", um dos vários filmes musicais em preparação, incluindo a estreia mundial de "In Restless Dreams: The Music of Paul Simon".

Mas a primeira projeção de destaque na quinta-feira à noite é "O Rapaz e a Garça", a primeiro longa-metragem de Miyazaki, de 82 anos, numa década, e provavelmente a última que fará para o histórico Studio Ghibli.

O filme semi-autobiográfico, que estreou no Japão em julho, segue o jovem Mahito enquanto ele navega pelos horrores da Segunda Guerra Mundial e a morte da sua mãe. Após conhecer uma garça falante, ele entra num mundo colorido de fantasia à sua procura.

"É algo que nos emociona especialmente ter. É um dos maiores artistas do cinema com o que poderá ser o seu último filme. É magnífico", elogiou Bailey.

Aquecimento para os Óscares

O Menino e a Garça

O festival de Toronto (Tiff), juntamente com Veneza e Telluride, é um dos principais festivais do outono, onde geralmente são lançados os filmes que concorrem aos Óscares.

O Prémio do Público do Tiff tem vindo a ser um indicador cada vez mais preciso dos Óscares, prevendo vencedores como "Nomadland" e "Green Book".

Esta sexta-feira, estreará "Dumb Money", protagonizado por Seth Rogen e Paul Dano, sobre os investidores amadores que transformaram a GameStop num fenómeno de Wall Street em 2021.

No sábado, Robert De Niro protagoniza "Ezra", de Tony Goldwyn, sobre um homem (Bobby Cannavale) que volta a morar com o pai (De Niro) depois de arruinar a sua carreira e o seu casamento.

Outras estreias mundiais incluem a comédia desportiva de Waititi "Next Goal Wins" e "Knox Goes Away", de Michael Keaton, protagonizada por Al Pacino.

O festival acontece enquanto atores e argumentistas de Hollywood estão em greve, numa batalha com estúdios, plataformas de streaming e canais de TV por melhores salários e outras condições de trabalho, o que significa que os membros dos respetivos sindicatos geralmente não podem promover filmes produzidos por empresas envolvidas na disputa.

Em alguns casos, foram concedidas exceções, enquanto em outros, os filmes exibidos em Toronto não estão sujeitos às greves porque foram produzidos de forma independente ou internacional.

O Tiff voltou à força total em 2022, após dois anos de eventos 'online' ou híbridos realizados durante a pandemia da COVID-19. O festival vai até 17 de setembro.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.