Quase trinta filmes portugueses, entre os quais "Cartas da guerra", "Verdes anos" e "Maria do Mar", vão ser exibidos a partir de domingo em Pequim e em Changsha, no âmbito da Festa do Cinema Português na China.

Em comunicado, o Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA) descreve a iniciativa como "uma mostra inédita" que pretende "dar a conhecer ao grande público chinês a cinematografia portuguesa", como resposta à Festa do Cinema Chinês que aconteceu em 2015 em Lisboa.

A Festa do Cinema Português na China abrirá no domingo, dia 09, com "Cartas da Guerra", de Ivo M. Ferreira, na Cinemateca Chinesa, em Pequim, com a presença do primeiro-ministro, António Costa, que estará de visita oficial ao país.

Até novembro, o ciclo contará com 28 filmes portugueses a exibir em Pequim e também em três salas de cinema de Changsha, a convite da empresa distribuidora e produtora de cinema Xiaoxing Group.

O programa desta festa está dividido em três ciclos distintos: Cinema contemporâneo, clássicos do cinema português e um ciclo dedicado a Manoel de Oliveira.

A retrospetiva do cinema clássico abrirá com "Maria do Mar" (1930), de Leitão de Barros, e contará ainda, entre outros, com "Verdes Anos" (1963), de Paulo Rocha, "Uma Abelha na Chuva" (1972), "À Flor do Mar" (1986), de João César Monteiro, e "O Sangue" (1989), de Pedro Costa.

A abertura da retrospetiva é antecedida de uma conferência sobre cinema português, pelo diretor da Cinemateca, José Manuel Costa.

O 'cinema contemporâneo nacional' estará representado, por exemplo, com "Os Gatos não têm Vertigens" (2014), de António-Pedro Vasconcelos, "A Última Vez que vi Macau" (2012), de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata, "Yvone Kane" (2014), de Margarida Cardoso, e "O Pátio das Cantigas" (2015), de Leonel Vieira.

"Francisca" (1981), "Aniki-Bobó" (1942), "Douro, Faina Fluvial" (1931) e "Singularidades de uma Rapariga Loura" (2009) são alguns dos filmes de Manoel de Oliveira selecionados.

Em novembro, já fora do calendário oficial da Festa do Cinema, em Pequim serão exibidos "Tabu", de Miguel Gomes, "Kilas, o Mau da Fita", de José Fonseca e Costa, "Amor e Dedinhos de Pé", de Luís Filipe Rocha, e "Sangue do meu sangue", de João Canijo.

A par das sessões de cinema, a Festa levará à China os produtores Leonel Vieira e Luís Urbano, para uma 'masterclasse' no dia 12 para alunos de cinema, assim como os produtores Maria João Mayer, Alexandre Oliveira e Mariana Branco.

A Festa do Cinema Português na China resulta de um protocolo assinado em 2015 entre o ICA, a Cinemateca Portuguesa e a Cinemateca Chinesa "para divulgação mútua" do cinema nacional e para a "aproximação e o conhecimento entre profissionais do setor".

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.