Nuno Sena, da direção do festival, elogiou, na apresentação aos jornalistas, todos os realizadores que «demonstram uma vontade de desbravar novos caminhos» e o cinema deles passará pelo IndieLisboa até 6 de maio. Do total de 3.880 filmes recebidos, foram selecionados 233, com maior presença de cinema português e mais estreias mundiais que decorrerão na Culturgest, Cinema São Jorge e Cinema Londres.

Da programação estrangeira destaca-se o filme de abertura, hoje no cinema são Jorge, de
«Dark Horse», de
Todd Solondz sobre dois trintões ainda com as dores de crescimento,
«4:44 Last Day on Earth», de
Abel Ferrara, e o documentário
«Into the Abyss», de
Werner Herzog.

O cinema português estará representado com 38 filmes - seis longas-metragens e 32 curtas-metragens. Da competição nacional de «longas» fazem parte
«A Casa», de Júlio Alves,
«From New York with love», de André Valentim Almeida,
«Jesus por um dia», de Helena Inverno e Verónica Castro, e
«Por aqui tudo bem», da angolana Pocas Pascoal.

Integra também a lista de longas-metragens o filme de Catarina Ruivo
«Em Segunda Mão», com a última participação cinematográfica do ator Pedro Hestnes, que morreu em 2011.

Entre as 19 curtas-metragens da competição constam
«Kali, o pequeno Vampiro», nova animação de
Regina Pessoa,
«Fado do Homem Crescido», de Pedro Brito,
«Cerro Negro», de João Salaviza, e
«Palácios de Pena», de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt.

Fora de concurso serão exibidos
«Rafa», de
João Salaviza, Urso de Ouro em Berlim,
«Raul Brandão era um Grande Escritor», que
João Canijo fez para Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012, e
«A Vossa Casa», de
João Mário Grilo.

Na secção de documentários Pulsar do Mundo, destaca-se a exibição de dois filmes do artista plástico chinês Ai Weiwei -
«Ordos 100» e
«So sorry».

Não foi esquecido ainda o público mais novo, com 30 propostas na secção IndieJúnior.

No programa IndieMusic serão mostrados, por exemplo,
«Meu caro amigo Chico», de Joana Barra Vaz sobre Chico Buarque,
«Inni», de Vincent Morisse, sobre os islandeses Sigur Rós, e
«Andrew Bird: Fever Year», de Xan Aranda, sobre o músico Andrew Bird.

O encerramento ficará por conta de
«Le Skylab», ficção autobiografada da realizadora e atriz francesa
Julie Delpy, e de
«Take Shelter», do autor norte-americano Jeff Nichols.

Este ano, o festival decidiu não realizar o programa Herói Independente, optando por programar um ciclo associado aos 50 anos do Festival de Cinema de Viena e outro sobre o atual cinema suíço.

O IndieLisboa 2012 conta com 1,1 milhões de euros de orçamento, dos quais 71,7 por cento são de apoios privados. A organização não quer falar em crise, referindo que tentou fazer um festival mais equilibrado e com menos dinheiro.

Toda a programação está disponível em
www.indielisboa.com.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.