"Soul - Uma Aventura com Alma" já não vai estrear nos cinemas por causa da pandemia.

Depois de um primeiro adiamento de 19 junho para 19 de novembro (em Portugal), a nova animação da Pixar e um dos poucos grandes filmes que restavam no calendário de 2020 será lançado diretamente no Disney+ a 25 de dezembro.

Ao SAPO Mag, a plataforma confirmou que a data em Portugal será a mesma.

Em países onde a plataforma de streaming ainda não está disponível será lançado nos cinemas em data ainda por anunciar.

A Disney repete a estratégia que usou para a versão em imagem real de "Mulan", mas sem a assinatura "premium" de mais 30 dólares: "Soul" vai ficar disponível aos mais de 60 milhões de assinantes do Disney+ sem qualquer custo adicional.

Segundo a sinopse oficial, a história vai das ruas de Nova Iorque até reinos cósmicos nunca vistos e anda à volta de Joe Gardner (voz de Jamie Foxx), um professor de música do ensino secundário cuja verdadeira paixão é a música jazz. Quando está prestes a concretizar o seu sonho tem um encontro inesperado com 22, uma alma perdida (Tina Fey), e juntos vão encontrar uma maneira de trazer Joe de volta à Terra.

VEJA O TRAILER.

A decisão da Disney surge num contexto em que a pandemia não dá sinais de diminuir nos EUA e aumentam os casos de infeções por todo o mundo.

No espaço de uma semana, os poucos grandes filmes de Hollywood que ainda estavam no calendário para este ano abandonaram as suas datas de estreia: entre os filmes que adiaram para 2021 estão "007: Sem Tempo Para Morrer" e "Dune".

Com a saída de "Soul", o único filme que resta projetado antes da pandemia para arrecadar milhões nas bilheteiras é "Mulher-Maravilha 1984", a 25 de dezembro.

Apesar dos cinemas terem recuperado em alguns países desde o encerramento forçado em março, o mercado norte-americano enfrenta uma grande crise e os analistas acreditam que não será viável lançar grandes filmes enquanto não reabrirem os cinemas de Los Angeles, Nova Iorque e São Francisco, que constituem 25% das bilheteiras.

Após a notícia de que "007: Sem Tempo Para Morrer" já não ia estrear em novembro, passando para abril de 2021, a Regal Theaters, a segunda maior exibidora de cinema nos EUA, avançou com o fecho de todas as suas salas naquele país e também na Grã-Bretanha a partir desta quinta-feira (8).

A AMC, a maior exibidora nos EUA e a enfrentar uma crise financeira que antecede o início da pandemia, também anunciou que fechará permanentemente dentro de seis meses se a situação não se alterar.

A Associação Nacional dos proprietários de cinemas nos EUA estima que 69% das pequenas e médias empresas no setor podem ver-se forçadas a abrir falência ou fechar definitivamente as portas.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.