A segunda temporada de "Emily in Paris", da Netflix, foi duramente criticada pelo ministro da Cultura da Ucrânia, Oleksandr Tkachenko, devido à nova personagem ucraniana, Petra, interpretada por Daria Panchenko.

Segundo o The Guardian, para o governante, a série do serviço de streaming  faz uma "imagem caricatural de uma mulher ucraniana que é inaceitável" e "insultuosa". "É assim que os ucranianos são vistos lá fora?", questionou o ministro.

Na segunda temporada da série, a personagem de Daria Panchenko conhece Emily (Lily Collins) durante as aulas de francês. As duas colegas decidem ir às compras, mas Petra acaba por roubar algumas peças de roupa de uma loja de artigos de luxo.

"Somos vistos como pessoas que roubam? Que querem ter tudo de borla? Que têm medo de ser deportados? Não devia ser esse o caso. (...) A Netflix conhece bem a Ucrânia... basta lembrar que muitas das cenas das ruas de Paris que aparecem no filme 'The Last Mercenary’ foram filmadas em Kiev", frisou o ministro, citado pelo The Guardian.

"A popularização da nossa cultura permitiu aos americanos e aos europeus conhecessem os nossos artistas, desde a maestrina Oksana Lyniv à tenista Elina Svitolina, ou à cantora Jamala e a designer Vita Kin", lembrou. "Provavelmente não é suficiente e teremos de continuar a combater os estereótipos. Porque, se nos anos 1990 e 2000, os ucranianos eram retratados como gangsters, com o tempo, isso mudou", rematou.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.