Sophia Loren, a deusa de Nápoles que permanece o maior ícone feminino do cinema italiano, não tem uma boa opinião da atual cultura "selfie".

"No meu tempo, o mérito e perícia de uma atriz baseavam-se no seu talento", contou aquela que, com "Duas Mulheres" em 1960, foi a primeira a atriz a ganhar um Óscar por um papel não falado em inglês.

"Agora, quando as pessoas me encontram, tiram o telemóvel para tirar fotografias. Não sei muito sobre redes sociais, mas parece isso é o que faz as pessoas mais famosas. Na minha era de Hollywood era muito melhor. Era-se conhecido pelas suas capacidades e perícia. Tive muita sorte por fazer parte desse tempo."

A lenda com 81 anos, homenageada pela carreira pelos National Arts Awards numa cerimónia de gala em Nova Iorque, onde Lady Gaga também um prémio de Jovem Artista, falou ainda dos perigos das cirurgias plásticas.

"Estas jovens precisam ser mais cuidadosas e seletivas no que estão a fazer aos seus corpos e aos seus rostos. Não se pode ter a certeza se se está a ir a um bom médico... pode-se acabar a parecer pior do que se pensava estar no início."

SOPHIA LOREN: OS GRANDES FILMES

 

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.