“Via Injabulo significa Alegria em Zulu, o que, de alguma forma, lança o mote para esta temporada”, referiu à Lusa a codiretora do Teatro Municipal do Porto (TMP), Cristina Leitão.

A programação da nova temporada prevê, até julho de 2023 quase 100 espetáculos, sendo 19 de artistas estrangeiros (África do Sul, Senegal, França, Coreia do Sul, Eslovénia, Espanha, Bélgica, Turquia, Alemanha, França, Lituânia, Suíça, Polónia e Israel) e cerca de 50 de artistas e companhias do Porto.

“Esta é a primeira vez que lançamos uma temporada completa mas continuamos com a mesma métrica, quase um espetáculo por fim de semana, alternando entre o Rivoli e o Campo Alegre, os dois polos do Teatro Municipal do Porto”, destacou Cristina Leitão.

Sobre a nova temporada, a responsável salientou que será marcada por uma “atenção especial” à inclusão.

 “A áudio descrição dos espetáculos é um dos aspetos fundamentais que estamos a implementar este ano, assim como a legendagem. Estamos a trabalhar quer os meios técnicos quer a sensibilização de artistas e companhias para trabalharem novas formas de inclusão”, explicou.

Outra “marca” da temporada, disse, serão “os momentos que vão acompanhar os espetáculos, sejam conversas, workshops, aquecimentos paralelos, que vão permitir mergulhar em cada um dos espetáculos”.

As novas criações de Marco da Silva Ferreira, Né Barros e António Lago, bem como estreias nacionais de (LA)HORDE, El Conde Torrefiel e Philippe Quesne são alguns dos destaques da nova temporada do TMP, que conta também com a apresentação dos trabalhos de Cláudia Dias, Tânia Carvalho e François Chaignaud (Dançando com a Diferença) e o regresso da Companhia Nacional de Bailado.

Em novembro, destaque para a ópera-performance “Sun&Sea”, das lituanas Lina Lapelyte, Vaiva Grainyte e Rugile Barzdziukaite, projeto vencedor do Leão de Ouro da Bienal de Veneza, em 2019.

Para o 91.º aniversário do TMP, em janeiro, salientou Cristina Leitão a presença no programa de nomes como a Companhia ROSAS, de Anne Teresa de Keersmaeker, a Sonoscopia e ainda, em associação ao 35.º aniversário do Teatro de Marionetas do Porto, o espetáculo “Carrossel”.

O festival Dias da Dança (DDD) marca o mês de abril, com programa ainda a anunciar, e, em junho, destaque para os 70 anos do Teatro Experimental do Porto, com a apresentação de “Elas entram e ficam!”, de Tânia Dinis.

A música marca também 2022/20223 no TMP, com espetáculos do polaco Jakub Józef Orlinski, Joana Gama e Luís Fernandes, os concertos do ciclo Understage do TMP.

A programação inclui projetos como “Retratos”, “Double Trouble”, as Quintas de Leitura no Campo Alegre, a “Mostra Estufa”, a primeira edição do projeto “Pendular”, em coprogramação com o Centro Cultural de Belém.

A temporada que hoje se inicia vai ainda acolher a Mostra Internacional de Cinema Anti-Racista, o Festival Internacional de Marionetas do Porto, a Festa do Cinema Francês, o Multíplex da Universidade Lusófona do Porto, o Queer Porto — Festival Internacional de Cinema Queer, o Festival Porta-Jazz, o Festival Internacional De Teatro De Expressão Iberica e o Trengo — Festival de Circo do Porto.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.