"Depois da última edição física cancelada e da realização de algumas atividades em formato digital em 2020, o MIL regressa em 2021 com um renovado programa artístico e de formação em formato presencial. Com as salas de programação de música do Cais do Sodré ainda sem poder funcionar, este ano, o programa de 50 concertos e a convenção decorrerá no Hub Criativo do Beato", explica a organização em comunicado.

Carla Prata, artista luso-angolana residente em Londres, é uma das cabeças de cartaz.  YNDI, compositora franco-brasileira que conquistou o "COLORS show" com "Ailleurs", Naima Bock, baixista de Goat Girl, Queralt Lahoz, promessa da cena de música urbana espanhola, Dino Brandão, EU.CLIDES, Faux Real, duo anti-rock que mistura o punk com a disco, e Kelman Duran, produtor dominicano que está a preparar um novo trabalho para apresentar em Portugal, também vão passar pelo mIL.

Ao longo dos três dias de festival, será ainda possível assistir aos concertos de Acácia Maior, A’mosi Just A Label, BabySolo33, Bia Maria, Cabrita, Club Makumba, Dame Area, Dianna Excel, Ellynora, Eugenia Post Meridiem, Fado Bicha, Gala Drop, Global Charming, Ikram Bouloum, Karel, Ladaniva, Los Sara Fontán, Hadi Zeidan, Herlander, Hun Hun, Maria Reis, Murman Tsuladze, Marinho, MØAA, MURAIS, Orange Dream, RAY, Roméo Poirier, Rosin de Palo, SecoSecoSeco, Silly, Stereoboy, Susobrino, Tristany, Uma Chine, We Sea, Yakuza e YN.

"Este ano, o MIL vai ainda contar com duas residências artísticas: a primeira, desenvolvida em parceria com o Instituto Ramon Llull, juntará as espanholas Tarta Relena e os portugueses Lavoisier, a segunda, realizada em parceria com o Liveurope, convida o produtor Pedro da Linha e o músico Álvaro Romero (RomeroMartin)", adianta a organização.

O programa de convenção do MIL vai ainda introduzir "uma reflexão crítica sobre a transformação digital, onde serão abordadas as problemáticas como a soberania digital, as políticas do streaming, os direitos de autor, a crescente concentração levada a cabo pelas grandes empresas tecnológicas e as narrativas de resistência e de denúncia que neste espaço se desenvolvem".

Os bilhetes para o MIL 2021 já se encontram à venda em millisboa.com. O bilhete PRO (acesso aos concertos, convenção e base de dados profissionais) tem um custo de 70 euros, o bilhete de festival (acesso aos concertos dos três dias) custa 25 euros e o bilhete de estudante (acesso aos concertos e convenção) tem um custo de 35 euros.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.