A sequela de "A Rede Social", sobre a história do Facebook, pode vir a ser uma realidade, mas existe uma exigência artística para avançar.

Da autoria dos argumentos de filmes como "Uma Questão de Honra", "Moneyball - Jogada de Risco" e "Steve Jobs", à criação das aclamadas séries "Os Homens do Presidente" (e escreveu todos os episódios das primeiras quatro temporadas) e "The Newsroom", Aaron Sorkin está ligado a alguns dos trabalhos mais importantes que saíram de Hollywood nas últimas três décadas,

Mas foi com "A Rede Social" que ganhou o Óscar e Quentin Tarantino não tem dúvidas de que o filme que David Fincher realizou em 2010 sobre a história da criação do Facebook e da ascensão de Mark Zuckerberg é o melhor da década.

Só que o relato sobre a rede social parava em 2005, com os acordos fora dos tribunais entre Zuckerberg (Jesse Eisenberg) e os gémeos Winklevoss (Armie Hammer) e Eduardo Saverin (Andrew Garfield).

Aaron Sorkin e Jessica Chastain

Segundo Aaron Sorkin, apesar de saber mais sobre os bastidores da rede social até 2005 do que o que aconteceu a seguir, sempre que surge um novo escândalo com o Facebook aumenta a pressão para ele continuar a história, nomeadamente de Scott Rudin, produtor do primeiro filme e um dos mais importantes do mundo do cinema.

Mas agora parece ter encontrado a "ideia".

"As pessoas tem falado comigo sobre isso. O que descobrimos é o lado negro do Facebook", explicou durante uma entrevista ao podcast Happy.Sad.Confused durante a promoção do seu segundo filme como realizador, "The Trial of the Chicago 7", que fica disponível na Netflix a 16 de outubro.

Claramente mais atualizado sobre o tema, Sorkin está interessado especificamente na história de Roger McName, um investidor na fase inicial do Facebook que entrou em contacto com Zuckerberg e a CEO Sheryl Sandberg quando se tornou evidente que a rede social estava a ser usada para disseminar desinformação com objetivos políticos.

A reação foi uma desilusão tão grande que o investidor se afastou e escreveu um livro chamado "Zucked!".

Sorkin recorda conversas que já teve com McName: "Sandberg e Zuckerberg parecem desinteressados em fazer qualquer coisa sobre isso. Isto termina tudo com McNamee numa sala de conferência de alta segurança na cave do Senado a informar os membros do subcomité dos Serviços de Informação sobre como o Facebook está a derrubar a democracia. 'Temos aqui um problema gigantesco e é preciso fazer alguma coisa sobre isso'".

Apesar da pressão para avançar, Aaron Sorkin diz que só está interessado em fazer o filme numa circunstância: "Apenas irei escrevê-lo se o David o realizar".

RECORDE O TRAILER DE "A REDE SOCIAL".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.