O médico mais famoso do San Jose St. Bonaventure está de volta ao AXN. A quinta temporada de "The Good Doctor" pode ser vista todas as terças-feiras, às 22h00, no canal, e continua a acompanhar Shaun, que deu recentemente grandes passos na sua relação com Lea. O jovem médico com autismo e síndrome de Savant tem vindo a dar cartas nas suas capacidades de comunicação, a par dos seus extraordinários feitos enquanto cirurgião.

Temporada após temporada, a série continua a conquistar mais e novos fãs. Em conversa com o SAPO Mag, Freddie Highmore, o protagonista da série, sublinha que o feedback do público tem sido muito positivo. "Acho que o feedback mais importante e significante que todos temos recebido ao longo da série é de pessoas que têm autismo ou que são próximas de pessoas com autismo. Isso faz com que seja mais do que apenas uma série de televisão", defende o ator.

"Quando somos capazes de abordar o autismo de uma forma aberta e com esperança, isso coloca o protagonista em situações com as quais as pessoas se podem identificar e sentem que são representadas. Ao mesmo tempo, acho que todos temos a noção que o Shaun nunca será capaz de representar todos aquelas que estão no espectro e estamos muito focados em contar a sua história individual, o seu caminho", sublinha Freddie Highmore ao SAPO Mag.

FREDDIE HIGHMORE

Sobre a sua ligação à personagem e o modo como se prepara para cada temporada, o ator frisa que não tem "necessariamente uma técnica particular". "Como acontece com todas as personagens, quando a interpretas por um longo período de tempo, achas que é mais fácil entrar e sair delas. Mas sinto que, para mim, isso depende da preparação e da pesquisa, dos documentários, dos livros que eu e o David Shore partilhamos desde o início e também do trabalho com a consultora de autismo da série, a Melissa Reiner, que está connosco desde o início", explica.

"Tudo isto sempre foi importante e fundamental para retratar o autismo", acrescenta o ator.

Na conversa com os jornalistas, a personagem interpretada por Freddie Highmore em "Bates Motel" (Norman Bates) também foi um tópicos. "Juntar os dois [Norman Bates e Shaun Murphy]? Não sei como, mas nunca se sabe", graceja. "O que posso dizer com um grau razoável de certeza é que Shaun irá, mesmo que esteja a passar por mudanças e a evoluir, continuar inerentemente bom e não se irá desviar do seu caminho para matar pessoas ou se tornar um serial killer", sublinha.

"Nunca sabemos o futuro e estou sempre entusiasmado para interpretar personagens diferentes e fazer coisas diferentes, então teremos de ver o que o futuro trará", frisa. "Mas interpretar alguém como o Shaun, incrivelmente positivo, tem um grande impacto grande em mim e mudou a forma como vejo o mundo", confessa o ator.

O sucesso de "The Good Doctor"

Tal como "The Good Doctor", as séries sobre médicos e o mundo dos hospitais são seguidas por milhões de espectadores em todo o mundo - "Anatomia de Grey", "New Amsterdam", "Chigado Med", "Serviço de Urgência" ou "Dr. House" são apenas alguns exemplos. Para Freddie Highmore, a proximidade com a realidade é um dos factores que explica o sucesso das produções: "Não é uma resposta particularmente surpreendente, mas sinto que as estacas de vida e morte estão presentes e são genuínas, são reais, e não parecem artificiais. Isso é algo incrivelmente humano".

FREDDIE HIGHMORE

"É uma forma simples e acho que é por isso que as pessoas são constantemente atraídas [pelas séries]. Isto pode não ser particularmente esclarecedor, mas sinto que isto explica uma  grande parte do sucesso das séries", defende o ator.

E poderá "The Good Doctor" prolongar-se no tempo, tal como "Anatomia de Grey", série que já conta com 19 temporadas? "A única coisa que todos podemos fazer é aguentar temporada após temporada. Tenho a certeza que 'Anatomia de Grey' nunca foi planeada para ter 19 temporadas, o que é uma conquista incrível", frisa.

"A coisa mais sensata é estarmos focados em cada temporada conforme vão chegando e ir vendo, em primeiro lugar, se as pessoas querem continuar a ver a série e a envolverem-se com ela. E temos de pensar até que ponto faz sentido a história do Shaun continuar de um ponto de vista criativo", defende o ator. "Estamos todos empolgados em fazer a série e temos sorte por trabalhar nesta série e, com sorte, poderemos continuar", acrescenta, sublinhando que "ainda é cedo" prever 19 temporadas.

A quinta temporada

Na quinta temporada, Shaun regressa com mais seguranças sobre o seu relacionamento. "A temporada anterior de 'The Good Doctor' trouxe muito amor e drama, que continuarão a ser os pilares dos novos episódios. Ainda a aprender a adaptar a sua personalidade única, o jovem médico tem agora mais um desafio – com o avançar da relação com Lea, Shaun vai ter de lidar com outras pessoas da vida da sua namorada, em particular com os pais", adianta o AXN.

Veja o trailer:

Para o ator, a relação entre Shaun e Lea é um dos pontos centrais da quinta temporada de "The Good Doctor", do AXN. "É uma questão muito explorada na quinta temporada. Sinto que a Lea nunca mimou o Shaun. Sempre foi direta. Ela é sempre, como deveria, mas há pessoas que não o fazem. Ela sempre o tratou como um adulto, com sendo igual e nunca lhe arranjou desculpas", sublinha o protagonista da série.

Para Freddie Highmore, o relacionamento entre as duas personagens vai ser "um desafio para cada um".  "O casamento de Shaun e Lea será um dos pontos altos desta temporada. Os preparativos para tudo e o significado do compromisso que é inerente, obviamente. Haverá um grande caminho para cada uma das personagens", adianta.

FREDDIE HIGHMORE

Para o ator, as mudanças no hospital também prometem agitar a história. "O Shaun vai ser forçado a mudar e a adaptar-se a novas situações. A batalha dele com quem comprou o hospital vai marcar a temporada. Cada um deles, como sabem, tem opiniões certas e que fazem sentido. Ambos também estão errados. Esse tipo de batalha complexa e cheia de nuances será interessante quando o Shaun voltar a ser o oprimido", destaca.

Na conversa com o SAPO Mag, Freddie Highmore sublinha ainda que é um privilégio interpretar um médico "neste momento" e adianta que as questões ligadas à pandemia não serão muito exploradas nos novos episódios. "Abordamos mais a pandemia na quarta temporada, com alguns episódios dedicados a ela. Parecia ser necessário, não apenas porque as pessoas estavam curiosas para ver, mas porque - e era o mais importante - era uma homenagem aos médicos e aos profissionais de saúde da vida real, que colocaram as suas vidas em risco todos os dias para nos manterem seguros", frisa o ator em conversa com vários jornalistas de todo o mundo.

"Temos a responsabilidade e honra, acho eu, de interpretar médicos na televisão neste momento e isso coloca em perspectiva o facto de estarmos apenas a representar todos os dias, em vez de estarmos a arriscar as nossas vidas. Então, é uma grande responsabilidade e uma honra interpretar um médio na televisão neste momento", confessa.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.